Xadalu

Voltar à lista
  • Criptografia das Ruas
    Caneta posca sobre madeira
    Peça única
    110 X 110 cm
    2016

  • Classificados
    Panfletos fixados sobre madeira
    Peça única
    110 X 110 cm
    2016

  • Maria
    Pintura sobre papel e colagem sobre madeira
    Peça única
    110 X 110 cm
    2016

  • Ritmo do Tempo
    Colagem e pintura sobre madeira
    Peça única
    110 X 110 cm
    2016

  • 171
    Caneta posca e colagem sobre madeira
    Peça única
    118 X 121 cm
    2016

  • Correndo o Risco
    Colagem e pintura sobre madeira
    Peça única
    100 X 117 cm
    2016

  • Vote Nulo
    Colagem, pintura, spray e cal sobre madeira
    Peça única
    100 X 117 cm
    2016

  • Cobre Negativo
    Colagem, pintura, fuligem e raspagem sobre madeira
    Peça única
    110 X 110 cm
    2016

  • Seres Invisíveis
    Impressão em chapa de radiografia sobre caixa de luz
    Edição de 5
    43 X 150 cm
    2016

Currículo
Xadalu é artista visual urbano com uma obra que transita entre intervenções nas ruas e exposições em museus, galerias e centros culturais. Sua produção diversificada mescla as colagens da sticker art a técnicas e linguagens como a serigrafia, a pintura, a fotografia e o objeto.

Seu trabalho em street art já foi exibido em mostras coletivas e individuais em instituições de Porto Alegre como Santander Cultural, Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS), Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul (MAC-RS), Instituto Estadual de Artes Visuais do Rio Grande do Sul (IEAVi), Casa de Cultura Mario Quintana e Museu dos Direitos Humanos do Mercosul. Na Europa, apresentou obras em galerias de Berlim e Florença.

Integra coleções particulares e acervos públicos, como do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS) e do Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul (MAC-RS).

É tema do livro “Xadalu — Movimento urbano”, do curta-metragem “Sticker conection” (2015) e do documentário “Xadalu — Filme” (2017), que retratam a produção iniciada em 2004 com as primeiras colagens do indiozinho Xadalu nas ruas de Porto Alegre. Hoje, o personagem é visto em dezenas de cidades do mundo graças à rede estabelecida com outros artistas visuais urbanos praticantes da sticker art que trocam seus adesivos pelo correio.

As questões indígenas acompanham seu trabalho desde o início. Com o envolvimento, realiza temporadas de residência artística em aldeias do sul do Brasil e da Argentina. 

Em reconhecimento à defesa da causa indígena aliada a questões socioculturais, foi um dos agraciados pelo Prêmio Humanidades do Instituto Brasileiro da Pessoa 2014. Entre outras diversas distinções, foi eleito em 2012 Melhor Artista na Expo Colex, mostra internacional de sticker art realizada em Santos (SP), e duas vezes indicado ao Prêmio Açorianos de Artes Plásticas da prefeitura de Porto Alegre (2015 e 2016).

Realiza palestras, cursos e oficinas sobre serigrafia e arte urbana, com destaque para o Curso de Extensão em Serigrafia da Universidade de Caxias do Sul (UCS), que ministra desde 2016.