Regina Silveira

Voltar à lista
  • Encuentro
    MDF sobre alumínio
    Edição 1/2
    140 X 200 cm
    1991

  • "Festim"
    Porcelana, toalha bordada e acrílico
    Peça única
    40 X 127 X 53 cm
    2013

  • "Una Vez Más"
    Vídeo
    Edição de 3
    29'57"
    2013

  • "Corruptio"
    Porcelana
    Peça única
    289,5 X 228 cm
    2008

  • Velox
    Poliestireno
    Peça única
    200 X 300 cm
    1997

  • "Track Series (Snake 2)"
    Vinil adesivo e motocicleta de brinquedo
    Edição de 3
    205 X 210 cm
    2007

  • "Track Series (Snake 1)"
    Vinil adesivo e motocicleta de brinquedo
    Edição de 3
    235 X 210 cm
    2007

  • "Armarinho Series (Colchete de Pressão)"
    Vinil adesivo
    Edição 3/3
    150 X 250 cm
    2001-2008

  • "Attachment Series (Canivete)"
    Vinil adesivo e gancho de metal
    Edição 8/10
    160 X 65 cm
    2007

  • "Trilha"
    Porcelana
    Peça única
    12 X 36,5 X 36,5 cm
    2004

  • "Track I"
    Porcelana
    Peça única
    18 X 33 X 33 cm
    2010

  • "Babel"
    Caixa de luz
    Edição de 3
    104 X 74 X 09 cm
    2012

  • "Derrapagem"
    Tapeçaria
    Peça única
    206,5 X 295 cm
    2007

  • "Inflexão: Poltrona Amarela"
    Acrílica sobre eucatex
    Peça única
    82 X 232 cm
    1986

Currículo
Graduada em Artes Plásticas pelo Instituto de Artes da UFRGS (1959), fez o Mestrado (1980) e Doutorado (1984) na Escola de Comunicações e Artes da USP. Ensinou no Instituto de Artes da UFRGS (1964-69), na Universidade de Porto Rico, Campus de Mayaguez (1969-1973), na FAAP, em São Paulo (1973-85), e é docente aposentada do Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP, onde ensinou desde 1974. Participou de diversas bienais internacionais, entre elas a Bienal de São Paulo (1983 e 1998), a Bienal do Mercosul (2001 e 2011), a Bienal de Taipei (2006), e Mediations, Bienal de Poznan, Polonia (2012) . Dentre muitas exposições coletivas, desde os anos 60, algumas mais recentes estão: “Brazil: Body and Soul”, no Guggenheim Museum, Nova York (2001), “Anos 70: Arte Como Questão”, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo (2007), “Máquinas de Mirar”, no Centro Andaluz de Arte Contemporanea, Sevillha (2009), “Philagrafika 2010”, em Philadelphia, USA, “Gravura no Campo Expandido” e “Aberto/Fechado: Caixa e Livro na Arte Brasileira”, ambas na Pinacoteca do Estado de São Paulo (2012).

Das exposições individuais, desde 1959 ao presente, algumas entre as mais recentes são: Lumen no Palácio de Cristal, Museu Reina Sofia, Madri (2005), Sombra Luminosa no Museu de Arte Banco de la República, Bogotá (2007), Ficções no Museu Vale do Rio Doce, Vila Velha – ES (2006) , Tropel Reversed no Køge Art Museum, Dinamarca (2009), Linha de Sombra no Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro (2009), Abyssal na Atlas Sztuki, Lodz, Polônia (2010), Ocupação no Instituto Itaú Cultural, São Paulo (2010), 1001 Dias e Outros Enigmas na Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre, Brasil (2011), Limits no Rubin Center for the Visual Arts, UT El Paso, USA (2011) e In Absentia (Collection) no The Aldrich Contemporary Art Museum, Ridgefield, Co., USA (2012). 

Teve Bolsa de Pesquisa do CNPQ (1985-89), bolsa de Residência do Banff Centre, Canadá (1993), da Fundação Civitella Ranieri, Nova York, além de Umbertide, Itália (1995), e foi Artista Visitante da Universidade do Texas, Austin (1998). Recebeu também bolsas da John Simon Guggenheim Foundation (1990), Pollock-Krasner Foundation (1993) e Fulbright Foundation (1994). Premiações nacionais recentes foram o Prêmio Sérgio Motta para Arte e Tecnologia (2000), Prêmio APCA -SP conferido para a exposição Claraluz (2003), Prêmio Bravo Prime nas Artes, dado a Mundus Admirabilis (2007), Prêmio Fundação Bunge nas Artes (2009) e o Grande Prêmio da Crítica, dado a intervenção Tramazul no MASP (2010/2011), pela APCA-SP em 2011. Recentemente, em 2013, Regina Silveira ganhou o Prêmio Masp, pela trajetória de sua carreira.